sábado, 25 de abril de 2009

sábado, 18 de abril de 2009

Tropico de Cancer fragmento 35







"Ela fala comigo febrilmente --como se não houvesse amanhã. (Fique quieta, Mona! Olhe apenas para mim... não fale!) Finalmente adormece e eu puxo meu braço debaixo dela. Meus olhos fecham-se. Seu corpo está ali ao meu lado... estará ali até amanhã, sem dúvida... Foi em fevereiro que saí da baía sob uma nevada cegante. A última visão que tive dela foi acenando-me adeus, na janela..(...) Mona acenando-me adeus, na janela. Rosto branco e pesado, cabelos caindo selvagemente. Agora, um quarto abafado, respirando regularmente através das guelras, o líquido ainda escorrendo entre as pernas dela, um odor quente e felino, e seus cabelos na minha boca. Meus olhos estão fechados. Respiramos calidamente um na boca do outro. Bem juntos, a América a três mil milhas de distância. Nunca mais quero ver a América. Tê-la aqui na cama comigo, respirando sobre mim, com seus cabelos em minha boca - considero isso um milagre. Nada pode acontecer agora até amanhã cedo..."

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Passarinhos Anais Nin

"Ele enfiou um joelho entre as coxas dela e afastou-as. Fiquei excitada ao ver Lina tão indefesa e aberta. Comecei a acariciá-la, a despi-la. Ela sabia o que eu estava a fazer, mas estava a gostar. Colou a boca à minha e os seus olhos fecharam-se e deixou que Michel e eu a despíssemos toda.Os seus seios fartos cobriram o rosto de Michel.

Ele mordeu-lhe os mamilos. Ela deixou-o beijá-la entre as pernas e introduzir o pénis, e deixou-me a mim beijar-lhe os seios e acariciá-los. Tinha umas nádegas maravilhosas, firmes e redondas. Michel teimava em afastar-lhe as pernas e em morder-lhe a pele macia, até que ela começou a gemer. A única coisa que Lina permitia era o pénis, portanto Michel possuiu-a e, depois de ela desfrutar, ele quis possuir-me.

Ela sentou-se direita, abriu os olhos e observou-nos pensativamente por um instante, depois tirou o pénis de Michel de dentro de mim e não o deixou tornar a penetrar-me. Lançou-se sobre mim com uma fúria sexual, acariciando-me com a boca e com as mãos. Michel voltou a possuí-la, por trás.Quando saímos para a rua, Lina e eu, enlaçadas pela cintura, ela fingiu não se lembrar de nada do que acontecera. Deixei-a. No dia seguinte, ela foi-se embora de Paris.



" in Passarinhos - Anaïs Nin

sexta-feira, 10 de abril de 2009

fist me, please!

FIST FUCKING, ou FODA COM O PUNHO “…consiste na introdução da mão (punho) na vagina ou ânus. Inicialmente, introduz-se vagarosamente os dedos, até conseguir um relaxamento muscular do parceiro(a). Deve existir uma grande cumplicidade entre as partes para esta actividade. Fisting requer tempo, atenção, cuidado e carinho. Com a lubrificação adequada, fisting não é necessariamente uma experiência dolorosa. De qualquer maneira, é consenso que a prática do fisting não é utilizada para causar dor e sim prazer no(a) parceiro(a) como uma forma intensa de penetração. Praticantes de Fist Fucking dizem que esta é uma actividade sensorialmente profunda, tanto para quem está recebendo como para quem está conduzindo. O fisting tem inúmeros componentes psicológicos: Pode remeter à uma sensação de violação, humilhação ou abandono. O punho é um símbolo de poder, literalmente. A introdução do punho dentro do corpo de um ser humano tem um enorme impacto tanto emocional quanto sexual, pois diferente de objectos artificiais (vibradores, butt plugs, etc.) a destreza e o movimento da mão provoca uma sensação única.”



Do blog: http://olharsublime.blogspot.com/ video

Sexus Henry Miller

« A doença que vemos em toda a parte, a amargura e a repugnância
que a vida inspira a tantos de nós, mais não são do que o reflexo da
doença que trazemos no nosso interior. A profilaxia jamais nos
protegerá da doença do mundo, porque trazemos o mundo dentro
de nós. Por muito maravilhosos que os seres humanos se tornem,
a soma total será um mundo doloroso e imperfeito. Enquanto
vivermos com a consciência de nós próprios seremos incapazes
de nos avir com o mundo. Não é necessário morrer para se ficar,
enfim, cara a cara com a realidade. A realidade está aqui e agora,
em toda a parte, cintilando através de todos os reflexos que nos
ferem os olhos. As prisões e, até, os manicómios ficam vazios dos
seus habitantes se um perigo mais vital ameaça a comunidade.»

livro SEXUS de Henry Miller

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Grelo


(... ele acaricia o corpo dela todo, lambe o sexo dela, enfiando a lingua ali, brincando antes com o grelo antes de enfiar a pica, todas as noites, da a ela prazer do anoitecer ao amanhecer, isto é que é homem, não é feito essas lesmas que voces enchem de cuscuz de cordeiros...)


“A Amêndoa – Memórias eróticas de uma mulher árabe”