sábado, 29 de maio de 2010

Belos peitos

Como vc chupa ??? envie para nós....

Como vc chupa ??? escreva e nos envie, as melhores publicaremos...

email: erhospalavras@hotmail.com

Como vc chupa ???

Anônima escreveu :

 " Chupar? Eu ainda para chupar eu faço assim:


Começo bem devagar na barriga, desço até o pênis, beijo todinho ele, passo a língua por toda a extensão, faço movimentos circulares pela glande, tento abrir o orificio da glande com a minha língua, sugo com força e depois assopro com a mesma intensidade, depois, vou beijando até as bolas, volto para a glande e vou comprimindo o pênis na minha boca, empurrando-o para minha boca com as mãos no bumbum do meu gato... "

A felação – como chupar um homem

 

Mornos ou incandescentes, ávidos e gulosos, seus lábios percorrem o corpo do(a) parceiro(a) para saboreá-lo. Todo esse corpo se parece então, com um manjar divino, “misterioso”: uma mistura de caramelo, avelãs e chocolate oculta um coração de bolo folhado. Assim sua boca, jamais saciada pelos beijos, mostra-se irresistivelmente atraída pelo âmago do outro, o mais precioso da intimidade do seu… mistério. Este sexo que então se oferece à sua boca faminta e quer ser devorado… Isso constitui uma das mais belas provas de amor que se possam conceber. E um dos cumes do gozo e do abandono.
Chupada, chupão, chupeta… podem chamar como quiserem essa prática, pois o importante não se acha nas palavras, mas no próprio ato e naquilo que representa.
“Quando coloco o sexo de Bruno em minha boca, tenho a impressão de que ele se abandona completamente, entrega-se a mim, deixa-se levar pelo meu amor e minha habilidade para conduzi-lo diretamente ao paraíso”, diz Natália.
“Gosto de pegar a piroca dele entre os lábio ainda mole. Fico lambendo a glande e molhando-a com minha saliva, como que marcando o seu relevo e preenchendo os vazios. Enquanto isso, brinco com os seus colhões, faço-os rolar delicadamente entre as palmas das mãos, pressiono-os bem de leve e deslizo um dedo úmido entre as coxas dele, subindo lentamente em direção ao cu. Ele fica logo excitado, e eu sinto seu pau endurecendo e chocando-se contra o meu palato. Chupo-o demoradamente, suavemente, apoiando os colhões em meus dedos, para que minha mão e minha boca trabalhem juntas na tarefa de proporcionar-lhe prazer. Em seguida acelero os movimentos e às vezes faço como se estivesse chupando sorvete de casquinha. Ele geme roucamente, e isso me encoraja a continuar. Passa uma das mãos pelos meus cabelos, em minha nuca, nas costas, enquanto com outra acaricia os próprios mamilos. Gosto quando ele goza em minha boca e aprecio particularmenet o sabor do esperma, suave e picante ao mesmo tempo. Esse licor morno que sinto descer pela garganta é um regalo amoroso. Bruno atinge o orgasmo, e eu experimento um gozo excepcional, a felicidade por tê-lo conduzido ao prazer e ter-me embriagado com o seu corpo.”
Nenhum homem consegue resistir ao prazer inigualável de uma boa felação. Esta provoca uma explosão que se divide em mil sensações diversas: superficiais sobre a glande e profundas na piroca amorosamente aprisionada entre os lábios doces e incandescentes.
Bruno, por sua vez, confessa como é emocionante ver Natália inteiramente entregue, desejosa de provar-lhe como o ama “totalmente e sem barreiras”.
Não existe qualquer motivo que você possa alegar contra a felação, renunciando a ela. Todo homem espera essa carícia suprema como a marca física extrema do seu amor e desejo. Saiba, portanto, amar esse sexo enternecedor que se oferece aos seus olhos, exigindo o calor dos seus lábios. Você pode brincar a vontade com ele a medida que vai ficando duro, beijando e acariciando sem reservas o saco: seu homem irá à loucura. Comece então lentamente a chupa-lo, a glande primeiro, tão sensível e tão receptiva, depois a piroca toda. Sugue, lamba, relaxe por alguns segundos e recomece. Continue segurando firmemente a base do sexo, a fim de aumentar a pressão e acelerar o vaivém da sua boca. Não tema de maneira nenhuma sugar esse sexo que a deseja como se fosse devorá-lo. Algumas mulheres queixam-se de sentir náusea quando se mostram muito gulosas, mas esse ligeiro inconveniente é perfeitamente controlável com um pouco de hábito. Não pare em tão bom caminho, e sobretudo evite largar o parceiro no auge da excitação e do prazer. Continue, varie o ritmo dos movimentos, recupere um pouco o fôlego limitando-se então a lamber o mastro da piroca com a língua molhada. Em seguida, segure bem essa piroca inchada, submetida ao seu querer e ofertada à intensidade de seu desejo. Você provocará infalivelmente a vontade de gozar e, ainda se você pudesse ter algumas dúvidas a tal respeito, a respiração ofegante do parceiro diria tudo. Neste caso, você poderia optar por duas alternativas: ou desacelera para que ele a penetre antes de ejacular ou acelera para vê-lo gozar. Não esqueça de colocar o rosto e os seios em posição estratégica, a fim de que você se deleite com sua embriagadora substância e não provoque, por um momento de retirada que lhe seria insuportável, o menor desagrado nessa mamada paradisíaca.
“Gosto particularmente que minha amante me leve a agonia do desejo e da excitação entre sua boca, depois que ela me libere para me deixar explodir em seu rosto com o meu esperma. Ela se lambuza com deleite, e eu lambo seus dedos, seus lábios e sua face, a fim de curtirmos a mesma beberagem mágica”, conta Daniel.
Com efeito, existem numerosas variantes no momento da ejaculação. Você pode, por exemplo, deixar o parceiro gozar fora da sua boca, segurando bem a base da piroca dele. O esperma jorra, e você espalha sobre a barriga e o peito do parceiro, lambendo-o em seguida. Nada evidentemente a impede de lambuzar o próprio corpo, e os seios, particularmente, a fim de que também ele venha lambe-la… depois que, lógico tiver recuperado os sentidos que você soube tão bem faze-lo perder.
Lembre-se enfim que a felação apresenta formidável vantagem de poder ser praticada em qualquer lugar e nas posições mais variadas. Deitados na cama ou num sofá, certamente, mas também o homem sentado e a mulher de joelhos entre suas pernas, ou ele de pé, encostado a uma parede… ou uma árvore. Depois de um primeiro boca-a-boca de reconhecimento, a mulher abaixa-se lentamente, esfregando-se no corpo, para enfim ajoelhar-se, boca aberta à altura da braguilha, onde o volume da piroca é uma verdadeira súplica: “Liberte-me!”, parece estar dizendo. Francamente, não fique surda ao apelo do de

Fry
http://www.nacamacomfry.com.br/

como chupar gostoso

Olá meninas, este eu vou escrever especialmente para vocês, e também para meninos moças.
Para começar, não faça por obrigação, tem de fazer por prazer! Sim, por prazer, quando você faz por obrigação o negocio não fica gostoso, é como comer sem estar com vontade. Nada de nojo, se você sentir nojo do gozo do cara então você não serve para isto baby.
Segure o pênis pela base, mas não com força, mas de forma segura, lentamente coloque-o na boca, acariciando a cabeça com a língua. Sugue-o com vontade, o sinta pulsando dentro de sua boca. Comece lentamente com movimentos mais suaves que é para a sensibilidade aumentar. Comece com movimentos mais rápidos, e muito, mas muito cuidado com os dentes, a pele é fina e sensível e pode machucar seu parceiro.
Bem, darei minhas dicas que através de uma pesquisa descobri que realmente os homens adoram:
95% dos homens gostam que as garotas babem em seus paus;
A parte mais sensível do pênis do cara esta na Glande, então é ali que vocês devem se concentrar mais;
Os caros gostam de meninas "gulosas", e para fazer um "garganta profunda" você precisa respirar fundo e ir colocando o pau com cuidado, muitas irão engasgar, o que deixam alguns caras mais excitados, outras não sentirão nada (sorte delas, pois é complicado entrar tudo aquilo na boca tocar no fim da língua e não sentir um leve desconforto, isso fará você lacrimejar e salivar mais, não fique com vergonha, volte a por o pau do seu parceiro na boca que ele nem irá notar tais acontecimentos);
Para se chupar um cara tem que ser com gosto, vontade e ganância. imagine que aquilo ali é um delicioso sorvete de (o sabor cabe a você) e deguste dele com vontade;
Use a criatividade a seu favor, eu não recomendo camisinhas de sabores, mas claro que você não irá sair chupando qualquer um né, então se for seu parceiro de confiança, caso você saia para a balada e curta um cara e quer chupa-lo, sem problemas, utilize a camisinha, recomendo a de morango.Utilize halls preto (sim, eles também gostam), cobertura para sorvetes, mel, doce de leite, leite condensado e chantilly. Há quem curta aqueles óleos vendidos em sex shop para sexo oral, eu não recomendo, o gosto deles não são tão agradáveis;
Passar ele no rosto quando o tira por pouco segundos ele da boca e olhar para o parceiro com cara de safada é excitante para ele;
Movimentar a cabeça em círculos enquanto o chupa também pode ser muito agradável;
Olhar para ele com carinha de cachorrinho pedinte e dizer: Goza na boquinha é o auge do boquete;
Muitos irão gozar dentro da boca, outros no rosto da parceira. Caso ele goze na sua boca e você não se sente apta a engolir a porra, de maneira delicada saia do recinto, cuspa e volte, alguns caras entenda, mas nada melhor do que engolir, segundo pesquisas ela contém até vitaminas;
Brinque com o saco dele enquanto o chupa, acaricie-o, e arrisque também a sugar as bolinhas, muitos homens sentem enorme prazer ali;
Não se assuste se ele começar a FODER com sua boca, este é o instinto do cara, foder tudo quanto é buraco.
Ai estão algumas dicas que para mim dão muito certo, o que vale, como eu já mencionei antes é você gostar e ter prazer no que faz, assim você fará direitinho.
Não sinta vergonha de ir beijar o cara depois que ele gozou na sua boca, afinal eles tomam de seu gozo e você aceita o beijo deles, e no fim são fluidos corporais deles mesmos. Então fique relaxada quando a isso e não saia para escovar os dentes, se você se sentir mais segura, tome um gole de vinho ou qualquer outra bebida.
Lamba, sugue, rodeia a língua na cabeça do pênis, invista na glande. São não vale mordiscar nem apertar muito, o pênis é um músculo e não um osso, pressione-o levante só a nível de segurança nas mãos.
No sexo vale tudo! (...)

Bem, aqui ficam minhas dicas. Para aqueles que quiserem acrescentar algo, comentem, critiquem, sugestionem.



Beijos e sugadinhas,



Justine Françõis

como chupar um homem

 
Chupar um pénis a um homem é um dos maiores prazeres da vida. È triste pensar que muitas mulheres não sabem o quão divertido pode ser. A razão é porque não sabem como fazê-lo correctamente e assim acabam por não gostar, porque se não o fizer correctamente, não tem o reconhecimento garantido… O pénis não se endurecerá, o homem não irá gostar, e a mulher não se sentirá bem consigo própria. Mas não há que ter medo, é muito fácil aprender a ser uma fabulosa chupadora de pénis, e eu vou dizer-te como…
Não tem importância o lugar que escolhas, pode ser em casa, na cama ou estacionada em qualquer canto, mas procura todo o nível de intimidade que necessites para te sentires relaxada e à vontade. Para o propósito deste artigo, digamos que estás no sofá, com um homem que gostas e que sabes que a ele quer  uma boa mamada neste momento (querem sempre).
Desliza pelo chão por entre as suas pernas e abre-lhe a braguilha. Procura e sente o seu pénis. Se está quente para ti, já estará dura. Se ele for um pouco mais nervoso, o pénis poderá estar dobrado nalgum canto na sua roupa interior. Mantém o seu pénis agarrado com a mão, e sobe até à sua face e beija-o. Observa se sentiste alguma resposta em baixo. Qualquer movimento é um bom sinal.
Agora tira-o  e verifica como se encontra. Se está duro, estás a fazer bem, se não, eis o que tens que fazer: pega os testículos. Se as calças estão muito apertadas, abaixa-las. Agora apalpa os seus testículos com a mão esquerda e o pénis na mão direita. Aperta pouco a pouco até à base do membro e começa a chupar.
Molha os teus lábios com a língua para eles ficarem lisos e húmidos, e olha para a cara do teu homem. Ele quer ver como o chupas. Os homens adoram ver. Agora abre ligeiramente a tua boca para o torturares e excitares o teu homem, e vai-te aproximando lentamente do seu pénis. Respira junto ao pénis, sopra-o com o teu ar quente. Saca a tua língua novamente e toca-lhe, torturando-o.
Assegura-te que a tua língua está gotejando de humidade. Começa pela base e lambe até acima, lentamente. Vire a tua cabeça para o lado e simula mordê-lo, suavemente, colocando os teus dentes na sua carne. Humedece-o de novo com a tua língua e usa a tua mão para espalhar o líquido em redor se for necessário. Um pénis húmido, é mais gostoso que um seco.
A tua mão esquerda, entretanto estará a tocar nas suas bolas, algumas vezes arranhando-as ligeiramente com as tuas unhas. Poderás também apalpar por baixo e por trás dos testículos para encontrar essa área sensível mesmo junto ao ânus, e inclusivamente passar os teus dedos pelo seu rego muito levemente. Como o músculo que causa a erecção começa aí atrás, este produzirá uma reacção no seu membro.
Depois de teres lambido o seu mastro inúmeras vezes e de este estar todo húmido e duro, o teu homem começará a contorcer-se de frustração se não começares a fazê-lo mais a sério. Um rápido olhar para o seu rosto fará com que saibas quando estas a fazer as coisas demasiadamente devagar. Torturar é bom… até um certo ponto.
Com um pouco de experiência a chupar pénis ficarás a saber quando este ponto é alcançado, ou seja o ponto limite da tortura.
Num dos teus balanceamentos até acima do seu pénis coloca a tua língua, desde a base do seu mastro até ao topo do seu membro. Não te acanhes.
Continua a tua larga e húmida lambidela sobre a ponta do seu pénis, insistindo no buraco central. Mantém a tua língua nele, se puderes, mas não chupes a sua cabeça.
Agora passa com a tua língua no rebordo da sua cabeça, por todo o contorno, passando frequentemente pela pele tenra e encarnada junto à mesma. Aqui é onde a maioria dos homens são mais sensíveis. Mas nem todos! Existe uma coisa que toda a chupadora de pénis tem que aprender a fazer, que lhe irá facilitar muito a tarefa: Fazer perguntas. Cada homem é único, bem como o seu pénis.
Espreita para o seu membro e verifica se sai um líquido claro. Se isso acontecer, molha a tua língua nele e espalha-o. Esse gesto parecerá fantasticamente erótico ao teu companheiro. Agora mostra como gostas dessa substância.
Aproxima-te da cabeça do seu membro como se fosse um fantástico gelado de creme de chocolate e mete-o todo na tua boca quente. Mantém-no la dentro. Ouve o teu homem gemer. Agora baixa rapidamente e enfia o pénis tanto quanto couber na tua boca. Não temas, não te afogarás. Se dobrares o teu pescoço da maneira correcta, podes metê-la facilmente na tua garganta.
Permanece assim, com o seu mastro dentro da tua boca, durante um momento. Sente-o dentro de ti. Ira crescer em ti. Irás sentir uma sensação muito boa.
Neste momento poderás fazer várias coisas. Esta é uma delas:
Desliza a tua língua até ao extremo do seu mastro e encosta-a contra ele. O teu homem irá sentir um formigueiro extra, querendo meter mais na tua garganta. Não o deixes impor-se. Se ele conseguisse, ele iria se vir em dois minutos. Não achas isto divertido?
Movimenta tão rapidamente quanto ele consiga aguentar (não o deixes ir depressa demais), desliza para cima e para baixo pelo seu pénis como se o estivesses a desfolhar. Se estiver muito perto de se vir, abranda, deixa-o la dentro mas não faças nada. Se não conseguires introduzi-lo todo, podes engana-lo com a tua mão direita usando-a para lhe dares a sensação que o estas a engolir todo. Parecerá como se tivesses engolido o pénis todo, e isto irá parecer-lhe igual. Poderás também usar os teus dedos, movendo-os em redor do seu mastro, para cima e para baixo com o ritmo das tuas chupadelas.
Esta é outra coisa. Além de meteres somente o pénis na boca, podes chupá-lo que é muito diferente. Há mamadas profundas e pequenas, e ambas são muito boas. O teu homem pode ter uma preferência, mas mesmo assim, observa as suas reacções.
Se puseres somente a sua cabeça na tua boca, mama-a como se fosse um dedo do pé. Isto ira faze-lo sentir tão bem, que irá fazer com que tu fiques excitada só de pensares nisso.
Assim não!

Uma outra forma de chupar, é larga, profunda, onde pegas no mastro e mama-lo com tempo, em cima e em baixo, como se fosses um aspirador.
Aqui há uma coisa importante que tens que saber: qualquer um destes movimentos irão fazê-lo sentir muito bem nas primeiras vezes, ou mais, mas passado um bocado, o pénis irá ficar imune ao sentimento. Quando notares isso, é o momento de mudar para o seguinte jogo. Não quererás que o mastro volte a adormecer. Quere-lo constantemente estimulado, quase a chegar ao ponto de orgasmo.
Que é justamente onde estamos agora. Tens uma furiosa erecção na tua mão direita e umas bolas algo tensas na tua mão esquerda. Chega-te para trás e observa-o. Não é bonito? Coloca a tua mão direita mesmo junto à base do pénis e aperta-a. Isto ira provocar que o mastro se encha e fique mais espesso, e irá fazer com que a cabeça fique brilhante e suave. Continua a manter o pénis na tua boca, chupa e prova todos os teus movimentos variados até que sintas que o homem não consiga suportar mais e que quase se venha.
O que fizeres agora é entre ti e o teu amante. Pessoalmente, prefiro observar o disparo. Proporciona-me imagens para os meus sonhos húmidos e não só, é emocionante ver o leite aos bocados. È impressionante quanta coisa sai e a distância a que chega o disparo. Se quiseres ver, iras senti-lo a vir com a tua mão direita e saberás quando te deverás afastar. Poderás inclusivamente apanhar alguma coisa com a boca se fores suficientemente rápida. Poderás engoli-lo, existem muitas mulheres que gostam fazê-lo, e existem ainda mais homens que o adoram. Tem cuidado de te afastares um bocado, aquando do disparo pois assim, não corres o risco de te engasgares e isso também não é muito romântico. Colhe-o na tua boca e mantém-no… depois engole-o.
Outra solução, e esta também é muito boa, exceptuando se estiveres a fazer amor nalgum sítio que não possas sujar, é deixar o fluído derramarem-se pelos cantos da tua boca e depois deslizá-los em redor do pénis húmido. Ficará tão escorregadia e deliciosa de tocar! Quererás recolhê-la com as tuas mãos, sentindo o mastro duro até acima, e espalhando o reluzente leite sobre a cabeça. Isto também criará uma estupenda imagem sensual, para ti e para o teu homem.
Acabas de fazer ao teu homem uma mamada que ele não esquecerá na sua vida.
Acredita, se seguires estas instruções, ele irá te querer muito mais. Ouvi os homens dizerem que somente uma mulher em cinquenta sabe como fazer uma boa mamada. As restantes agem como se estivessem a fazer um grande favor. Isto é um outro ponto que quero lembrar. Se não gostares de chupar e já tentaste aprender a gostar, não desistas. Quem sabe, irás gostar com o tempo. Os homens dizem que as mulheres mais velhas são as melhores chupadoras.
Mas devo advertir-te, há um monte de mulheres que adoram chupar e vamos continuar a insistir com aquelas que são tímidas. Conheço muitas mulheres que inclusivamente tem orgasmos a chupar os pénis.
Uma nota final, desta vez para os homens: Não forces.
Não há nada pior que ter um homem a empurrar a tua cabeça por aí abaixo. Espera. Se ela estiver com disposição, ela irá fazê-lo. E se lhe deres tempo, ela aprenderá a gostar. Se ela não gostar, quem sabe se a tua próxima amante não gostará…"
Espero pelas vossas experiências... e comentários...
Até breve
tirado de um site espanhol

terça-feira, 25 de maio de 2010

Masturbação Anal






(..)me pediu(...) para eu me masturbar só com o dedo no cu achei meio louco.
...mulher?!
...lembrei de uma coisa que tenho como lema, tesão não se explica, simplesmente acontece. E com a cara safada me lancei ao desafio.

Arreganhada na cama melei meus dedos com óleo de amêndoas doces, mas como meu dedo é meu, mandei ver. O óleo(...) é de cara meio geladinho, aquece a região e facilita a penetração à medida que o dedinho se diverte lá. Por um tempo, só a primeira falange do dedo médio da mão direita me comeu. Enfiando devagar e deixando, piscando o cu na ponta do dedo, meio que mordendo. Fiquei um bom tempo ali, só acostumando o cu ao dedo, para só então enfiar o segundo. Repetindo o exercício da mordidinha, comendo a ponta dos dedos com a musculatura anal. Movimentos rapidinhos de vai e vem, sempre muito bem lubrificados pelo óleo iam me aquecendo internamente.

O tesão foi tanto, que por um momento eu tive vontade de largar o cu e partir rápido para o clitóris, era tesão demais necessitando ser saciado, mas o desafio era a masturbação anal. Gozar apenas com os dedinhos no cu, nada mais. Fechei os olhos e me entreguei. Metia os dedos melados, que já deslizavam fácil e safadamente senti que o cu pedia mais. Três dedos. Meti e me senti preenchida. Agora sim, dei o start para o gozo. Comecei a imaginar que era um pau me fodendo o cu e foi impossível não sentir a xota melar e escorrer. Que vontade de enfiar uns dedos nela. Sentia ela piscar, com inveja do cu, mas me mantive convicta na intenção do gozo unicamente anal.

Passei a meter os dedos mais rapidamente, mas me concentrei apenas na portinha do cu, percebi que ali tinha mais tesão. Metia os dedos como se fosse uma foda curtinha, como se fosse só a cabecinha do pau ali, entrando e saindo. Fui metendo cada vez mais rápido até que sem poder controlar mais. Vi tudo escurecer, eu explodi num gozo doido, forte. Enterrei meu três dedos até o talo, e teria metido mais pra dentro se tivesse.

O prazer anal é indiscutível. E dessa vez, nem posso dizer que teve a ver com a dor, já que eu tive tempo para acomodar meus dedos ao meu tempo em mim. Devem ser terminações nervosas, tesão psicológico, sabe lá… O que sei é que o safado que me lançou o desafio, terminou me apresentando uma nova opção de gozo e eu simplesmente AMEI



http://meandmysecretlife.wordpress.com/

Há só ir ...

"«Há só ir» (...). Essa é uma lei do universo. Se não adaptar o seu ritmo ao ritmo universal, atrasa-se, regride, torna-se um vegetal, uma ameba ou uma encarnação de Satan."


Henry Miller

sábado, 22 de maio de 2010

Fogo na buceta

" Então sempre é verdade. Tania está calva como uma águia, lisa como um ovo. Tudo o que ficou, como prova de que já existiu uma mata de pêlos nascentes, ali entre as suas pernas, foi um arranhar suave, quando se passa a mão a contra-pêlo. E não foi só a sua conazita que foi rapada... o cu seguiu o mesmo caminho, ou fizeram-no seguir... não que ali houvesse muito que rapar... (...) Abre as pernas o mais possível, deixa-se escorregar e ergue o vestido de forma a eu poder não só vê-la como também senti-la. Tem a mesma macieza do rosto... mais macio, aliás, porque na sua face ainda se pode ver uma leve penugem quando a luz incide directamente. (...)
Tania não se consegue manter quieta no meu colo. Mexe o cu de um lado para o outro, espreme-me a mão entre as suas coxas. Está outra vez com comichão na cona... sacar-lhe o tufo de pêlos não foi lá grande remédio para lhe acalmar os ardores. (...)
Tania está húmida entre as pernas. Agora não possui quaisquer cabelos para absorverem aqueles fluídos, diz ela... talvez tenha de pedir os meus emprestados... e cá vem ela direito às minhas calças, para apanhar uma mão-cheia. A cabra já nem pede as coisas, agarra o que pode, e exige aquilo em que não consegue pôr a mão. (...)
Tania aperta-me o pénis num anel mortal... só o deixará depois da vida o ter abandonado em golfadas. Mas, no que toca à sua cona, comporta-se como uma miúda com um brinquedo novo... tem de usar uma mão para a explorar, estando ao mesmo tempo a masturbar-me. (...)
Tania acocora-se, com as mãos a cobrir o sexo, observando-me enquanto me dispo. Quero que ela me chupe o caralho? pergunta ela. Não respondo. Oh, então devo querer meter o caralho... aqui! E fica de pernas abertas, os dois braços sobre a cabeça. Estou em cima dela antes de poder unir novamente as pernas, a verga numa mão e as calças ainda na outra... (...)
Outra coisa... quando não há uma pintelheira para a camuflar na sombra, foder parece um perigo mortal, literalmente. O meu mangalho não tem hipótese de entrar naquele minúsculo orifício sem o esfrangalhar todo... (...).
Estar a foder Tania nestas condições é como estar a foder uma miúda de liceu, se exceptuarmos o facto de que uma miúda de liceu nunca teria uma aparência tão nua. O meu ventre esfrega-se contra o dela, e a única coisa que encontra é a sua pele, nada mais. Entre as suas pernas não se encontra nada além da lubricidade, e um odor e um calor de forno de alta tensão. (...) "


Henry Miller

quinta-feira, 20 de maio de 2010

he whispers..

-She trembles withthe sound of hisvoice.

—There were a

million things

he wanted to

say to her.



-Her nearness

affected him

physically,

as it always did..



—She fought the urge

to stiffen and resist

him, but couldn’t.



-HE was to powerful.



Touching her lips;

he immediately felt

the blood drumming

in his fingertips, his

throat, even the soles

of his feet.



Yet, they were

nothing compared

to the blood-throb

of his erection..



He never felt her

this wet before;





the urge to pounce

her over whelmed

him.



Licking her.. with

hot breathes and

flicks of his tongue!



…the heat within her

permeated, lingered;



-as Desire splashes

onto their thighs

like Hot Rain!



yemanja

SEX, SEXO ....


We don’t have much time and so you pull me out and drop to your knees, taking my cock into your hand. In a fitted rage you begin pumping my cock, alternately staring into my eyes and waiting for me to erupt. Your free hand slides around my wet balls, underneath and then up to my nipples.Not five seconds later and I feel the swirling heat of all this surging through me. From the top of my head it comes, rushing into my gut and then with my quiet vocalization you take my cock in your mouth where I explode and you graciously take all of my juices, swallowing me nearly whole.In this fantasy, I do not remember getting myself back together, or what is said just before we walk back down the stairs. But laying in my solitary bed miles and lifetimes away from this imagined possibility, with my juices sprayed on my stomach, I think about how my thirst is still unquenched. And how I want to swallow you whole, tasting every naughty molecule of your sex as you did mine. In that hallway of fantasy.And as I drift off to sleep, I fall back to the reality of this quiet room. And the darkened night. And I think about how solitary and alone I was walking into your door for that first time. And in the same kind of reverse, I think about how I walked out of it: Alone and with the sound of your summer night’s party swirling up and into the night like a great din

quarta-feira, 19 de maio de 2010

buceta

"Buceta é um negócio desorganizado, bagunçado.
 Requer uma outra abordagem, não dá pra entrar querendo encontrar algo, querendo impor uma ordem.

Você não pode ser pragmático nem metódico diante de uma buceta.
Homens em geral são muito caretas diante de uma."

Técnica

Comer uma bunda feminina num é pra qualquer um, requer paciência, tempo, jeito, e sentir prazer em proporcionar um prazer tão intenso a elas.
Esta é uma area pra quem sabe.
Este video mostra o que uma boa tecnica é capaz de fazer.


video

video

video


video




fist me, please!



De pernas bem abertas, sem receios e preconceitos do olhar e da aptitude do meu Amor…do meu Mestre, exponho-me, deixando-O explorar-me com carícias.
Naturalmente, acolho os seus dedos, que rapidamente passam a quatro. Deixo-me ser massajada nas minhas entranhas enquanto relaxo e há uma adaptação da Sua estrutura óssea á minha, por forma a envolver Sua mão como se a engolisse e a fosse guardar para mais tarde ser digerida…apertando-a como se a quisesse esmagar.

È sempre com um olhar de admiração quando fixo os meus olhos nos Dele. Inicialmente gemo de dor, mas rapidamente o meu desejo cresce e fica notória a minha reacção positiva á força da Sua penetração.
Estou descontrolada e a posicionar/ajustar a minha anca ao ângulo do Seu punho, que entra de forma estável e firme em mim.
Estou ansiosa por senti-Lo todo dentro.

Sinto Seus dedos posicionando-se e Sua mão moldando-se, pelo seu volume, à minha fisionomia. Começo desde já com espasmos de contracções sentindo-me preenchida. O caminho amplifica-se…quando de repente sinto a Sua mão deslizar totalmente em mim, atingindo um estado quase orgasmico!

Está dentro…até ao pulso. Está em mim, como qualquer outra penetração.

Ele começa num ritmo de vai/vem lento até o orifício se adaptar. Roda ligeiramente o Seu punho, friccionando os nós dos Seus dedos por toda a parede/cavidade vaginal.
Sinto-me invadida e violada de forma extremamente desejável!

Surpreendo-me a cada fist que Ele me presenteia, com um misto do imprevisto, do meu soluçar, da dor que salta a barreira para um prazer indescritível e único a este acto.

Grito e gemo que nem uma loba, em fogo, uivando pelo seu macho!!!
Estremecidos e contorções descontrolados que vão além das minhas capacidades facultativas de os dominar.
Estou louca. Nada nem ninguém existe.
Ele fode-me com mais rapidez, batendo-me fundo, roçando nas paredes, torcendo a mão…de forma persistente e segura até explodir de orgasmos múltiplos que parecem não ter fim – fazendo-me revirar sobre mim mesma.

Gentilmente, Ele retira a mão de dentro do meu corpo.
Eu expulso aquele corpo estranho ao meu… dando-me a sensação psicológica aproximada à expulsão de uma criança.
Assim fico…abandonada e deixada a saborear o momento.
Assim fico, cansada mas orgulhosa.

De olhos fechados e em silêncio, continuo a tomar partido dos músculos vaginais ainda sensíveis e convulsivos.
Imóvel, relaxo. Espera-se a minha volta ao estado “normal” … dum acto selvagem, dum acto profundo, dum acto íntimo.

Sinto-me feliz, sinto-me bem explorada.
Sinto-me exausta! …após o 3º consecutivo!
Dilatada…e dormente,
Quero repousar nos braços do meu Dono.

Ainda toda estremeço...




È cá fundo onde eu sempre e em qualquer circunstância Te sinto.
Obrigada por ser Tua.

Sub4A

domingo, 16 de maio de 2010

Flor









me vê,
pede,
provoca,
deseja,
mete ... ...por favor!
e me manda ficar quieta. me segura,
enfia os dedos na minha boca, lambuza meu rosto, puxa meus cabelos,
me morde e me fode, muito, forte, pára e espera
faz o que quiser,
não me ouça,
não,
sim,
não-não-não,
mais eeeeee .... aaaaaaaaaah ... ... ...
mais... ... ...
sim,
mais,
assim,
por favor,
por favor.
deixa eu me esfregar
e me mexer,
( e me abrir
e me rasgar
e te sentir, e me foder,
e te gosar, me saciar, me arrebentar
e te arranhar, me dominar)
(...) sorri pra mim e pergunta "o que foi, menina?" com esse ar doce e safado,
enquanto se diverte me vendo desfalecer,
sorrir boba e entregue como uma flor recém-colhida.


Lorelei

Do conhecimento das mulheres





 " Acaba por nascer o dia em que se torna mais do que evidente que muito pouco são os que merecem o título de "homem". Quanto mais consciência disto temos, menos homens os que encontramos. Se nos agarrarmos tenazmente a tal ideia, acabaremos no vazio do Himalaia, para aí descobrirmos que aquilo a que se dá o nome do homem ainda está por nascer.
Neste processo de adaptação masculino à realidade, o mundo feminino parece sofrer uma deformação prismática. É nesse momento do curso do desenvolvimento de cada um, que aparece alguém que "conhece as mulheres". É o cretino realista, o indivíduo terra-a-terra, que julga que dormir com uma mulher é conhecê-la. Em virtude de inúmeras colisões com o sexo oposto, a sua maquilhagem viu-se acrescentada de algo que passa por conhecimento. Uma espécie de peruca psicológica, se assim podemos dizer. Confrontado com uma mulher real, com esta experiência real, este tipo de indivíduo não poderá deixar de fazer uma figura tão ridícula como a de um velho que tenta parecer jovem. A peruca torna-se o centro das atenções.
Lembro-me de um fulano, que foi meu companheiro de borga, durante este período transitório. Lembro-me das suas poses grotescas perante as mulheres, e de como isso me afectou. Ele estava sempre a exprimir a ideia de que apaixonar-se desesperadamente era o mesmo que correr para a desgraça. Nunca te dês todo a uma mulher! Por isso, fazia questão de me proteger. Mostrava-me como devia fazer para me comportar de um modo natural, como ele dizia, com as mulheres.
O estranho era que, durante as nossas aventuras, acontecia muitas vezes que as mulheres que o tipo tratava tão arrogantemente se apaixonavam por mim. Não levei muito tempo a descobrir que os objectos da sua escolha não se deixavam impressionar por aquela fanfarronice. Era mais do que óbvio, pela maneira como as "presas de caça" o protegiam maternalmente e lhe concediam a sua condescendência, que o facto de ele pensar que "sabia lidar com as mulheres" não passava de uma ilusão. Vi que aquele "homem vivido" era para elas uma simples criança, mesmo que na cama ele as fizesse gritar de prazer, ou gemer e soluçar, ou agarrarem-se a ele com um desespero silencioso. Ele tinha o costume de desaparecer de cena abruptamente, como um cobarde, uma fuga precipitada. "Uma cona é uma cona", dizia ele, tentando esconder o pânico, e depois coçava a cabeça e punha-se a pensar em voz alta se não haveria uma, ao menos uma, que fosse diferente.
Por muita importância que eu tenha vindo a dar à "cona", sempre me interessei mais pela pessoa a quem ela pertencia. Uma cona não tem existência separada e autónoma. Como tudo o resto. Tudo está ligado."


Henry Miller

A fome de ti é tanta









A fome de ti é tanta, amor,

e te mastigo tanto enquanto respiro,

que da solidez dentre as pernas tuas

ao vácuo dentre as pernas minhas,

-entre vens e vãos-

te como,

te sorvo,

engulo,

suspiro.



E por tanto querer-te assim, amor,

meu paladar só de ti se impregna,

tanto, que do mel da arvore tua,

tanto, que do fel da seiva minha,

-entre falos e lábios-

te beijo,

te sugo,

salivo,

deliro.



Morde-me a carne, a pétala, a alma,

lambo-te a pele, o caule, a calma,

delícia entre dentes, entre lábios, entrelinhas...

tuas cores, meus aromas, teus sabores,

sal no corpo... suores...

(con)sumo de ti em mim.

Ah, faminta e esfomeada fantasia,

meu des(a)tino é devorar-te

por entre toda essa poesia



Elise

http://ascartasdeelise.zip.net/