terça-feira, 5 de agosto de 2008

Uma bela mulher

Não resistindo mais... Abri-lhe as pernas, e lambi de uma só vez a linda bocetinha rosa... de baixo para cima, fazendo ela arquear o corpo e gemer. Sentindo que ela gostava, dei pequenas lambidas em redor de sua virilha, dos seus pêlos loirinhos e novamente outra lambida de alto a baixo, com a língua bem durinha e com firmeza. Força nos toques faz com que a sensibilidade se esvaía com facilidade. Tem que ser leve e firme...
Segurei-a pelos quadris e puxei-a em minha direção, enquanto metia a língua o mais profundo possível na sua bocetinha, comecei a mexer a pontinha lá dentro... movimentos rápidos e para cima, onde a parede interna é mais sensível a qualquer toque, provocando-lhe assim sensações intensas e duradouras. Em seguida novamente a lambida firme de baixo para cima... ela gemeu mais e mais alto, quase gritando já.
Então suavemente abri sua bocetinha, e empurrei para cima a pele que cobre o grelinho, que a esta altura já estava inchado e duro (hum... que tesão).
Passei então, a estimulá-lo de maneira firme e com movimentos rápidos e leves, preocupando-me com o ritmo e tempo certo, não queria que gozasse logo, cada mulher possue seu "tempo certo" para gozar. Permaneci entre as pernas da mulher, brincando de engolir e chupar seu grelinho, passando a língua na cabecinha... ela se torcia de tesão. Eu a olhava e não conseguia tirar da cabeça o quanto ela era linda.
Nesse momento, como quem não quer nada, pus meus dedos na entrada da bocetinha rosada dela, batia levemente, ela estava tão molhada, que chegava a fazer barulho... e eu ali brincando.. brincando... Então ela não mais resistindo me pediu freneticamente: Mete, mete... continuei brincando com a língua, em seu grelinho, começando a estocar meus dedos primeiro lentamente, depois cadenciando a chupada e aumentando a pressão dos dedos enquanto os enfiava bem lá dentro.
Gostoso, muito gostoso.
Chupando e metendo, daquela maneira, era impossível ela conter o gozo. Ela não mais resistindo trancou-me entre suas pernas, me segurando fortemente, eu cheguei a estranhar a força que ela possuía enquanto me apertava, e ficava toda retesada me prendendo.
Ela então gozou, entre gemidos e contorções, durante infinitos segundos, uma eternidade talvez. Os minutos de gozo sempre me parecem uma eternidade, um "estar fora do tempo".
A linda mulher então parou de se mexer, apenas espasmos periódicos, ofegante, transpirava, durante alguns segundo trocamos olhares, a sensação era de felicidade, paz total. Permanecemos caladas, deitadas lado a lado, então ela começos a me acariciar, puxou-me para perto dela. Podia sentir seu cheiro, o calor do seu corpo. Entre seus espamos que agora iam lentamente diminuindo pude ver seu olhar, e a observei em silêncio.
(...)continua


Prepadora

Um comentário: