quarta-feira, 17 de setembro de 2008

os lábios









humedeço, mordisco e beijo no leve sopro que percorro, vontade que trespassa e ultrapassa cada sentido. beijo que perdura e dura no sentimento da vontade que passa cada instante. lábio trocado, tocado em saliva que se mistura, pele ao rubro, arrepiada no encosto agora do corpo. aconchego, amarrotado no beijo que prolongo e arrasto por mãos irrequietas no desabotoar de cada botão, no correr de cada vontade do fecho que se abre e expõe. encosto, aperto no abraço na parede que segura, beijos perdidos em volume que cresce. tesão na vontade do beijo que cai no mamilo que mordisco, língua que percorre e se perde no ombro já despido. irrequieto, de joelhos na medida tirada na queda das coxas que me abraçam e comprimem os tímpanos. humm no sabor da coxa que beijo nas nádegas que aperto e apalpo. tesão na loucura da língua que sobe, no pescoço que beijo, lambuzo e comprimo. coxas que aperto levanto no encosto agora dos sexos que se tocam. roçam, apertam na suspensão agora perfeita da penetração que se exige. foda no entrar sem parar, lento das pernas que me enrolam e apertam, costas na parede das pernas que suspendem toda a força que se repete nas investidas que se prolangam. tesão por fluídos que se enrolam, perpetuam e misturam nos corpos já rendidos.


Blog coisas que escrevo

Um comentário:

o casalqseama* disse...

lábio que falam (muito bem) a nossa língua!!!

rs

bjsssssssssssssssssss*